19 anos sem os Mamonas Assassinas



No dia 02 de março de 1996 um trágico acidente na Serra da Cantareira matou os 5 integrantes da banda Mamonas Assassinas, no auge de seu sucesso. Eu era (ainda sou) super fã da banda, e até tinha uma camiseta amarela com a estampa dessa imagem acima. (Memória fotográfica é foda)
Inclusive, lembro que no dia do acidente eu usava essa camiseta e tava desenhando coisas na sala, quando apareceu a notícia no jornal. Foi triste, mal sabia o que tava acontecendo mas chorei horrores.

Enfim, vamos às curiosidades sobre as Mamonas mais famosas do Brasil:

- A história do grupo tem início no final dos anos 80, mas especificamente em 1989. Na época, Sérgio Reoli, então funcionário da empresa Olivetti, conhece Maurício Hinoto, irmão de Bento Hinoto.
- Mauricio, sabendo que Sérgio tocava bateria, decide apresentá-lo ao irmão. A química foi tal, que semanas depois, eles já planejavam a criação de uma banda.
- Ainda no contexto, Samuel Reoli, irmão de Sérgio, é escalado para assumir o baixo. Nascia a partir de então, a primeira formação do chamado “Utopia”.
- O grupo, nada mais era, do que uma banda especializada em covers da Legião Urbana, Titãs e Rush.
- Durante uma das apresentações, realizada em julho de 1990, os músicos entrariam em contato com Alecsander Alves (Dinho). Ele por sua vez, se comprometera a subir ao palco para cantar “Sweet Child O’ Mine”, do Guns N’ Roses.









 - Através de Dinho, os demais integrantes conheceriam Júlio Rasec, que viria a ser o tecladista do Utopia.
- Paralelamente a isso, o “Utopia” passa a se apresentar na periferia da cidade de São Paulo. Aos poucos, seus membros decidem abandonar os covers, introduzindo uma série de parodias nos shows.
- Pouco após o lançamento do primeiro e único disco, entram em contato com o produtor Rick Bonadio. Aconselhados por ele, aliás, decidem mudar o nome do grupo para “Mamonas Assassinas do Espaço”.
- Felizmente a ideia não vingou, e o nome adotado passou a ser “Mamonas Assassinas”.
- Alguns dias depois, o grupo decide, enfim, enviar uma fita demo para as gravadoras Sony e Emi. No material, estavam contidas as músicas “Robocop Gay”, “Jumento Celestino” e “Pelados em Santos”.


- Foi João Augusto Soares, então diretor artístico da EMI, o responsável pela contratação dos músicos.
- Produzido por Rick Bonadio, é lançado então, o primeiro e único álbum dos Mamonas Assassinas. O trabalho seria composto de 14 faixas. Entre as principais estavam: “Pelados em Santos”, “Chopis Centis”, “Mundo Animal”, “Robocop Gay” e “Lá Vem o Alemão”.
- O disco ainda contaria com a chamada “Vira-Vira”, uma espécie de “homenagem” ao cantor português Roberto Leal.
- No auge do sucesso, a banda passaria a se apresentar em diversos programas da TV. Entre os principais estavam o “Domingo Legal” (SBT) e “Domingão do Faustão” (Globo). Na atração de Gugu Liberato, os músicos ainda participariam da chamada “Prova da Lama”.
- Com o sucesso conquistado, os Mamonas seriam convidados para uma série de apresentações em Portugal.
- Como se sabe, as apresentações não aconteceram. Dinho e os demais integrantes acabariam falecendo em um trágico acidente aéreo, no dia 02 de março de 1996.
- Após a tragédia, diversas seriam as homenagens prestadas ao grupo. Uma delas, aliás, realizada com propriedade pelos Titãs.



Veja a última apresentação deles na televisão: 

Postado por: Bia Saraiva
comentários
Compartilhe: