Charlie Charlie Challenge desvendado: Não é um demônio mexicano. É a gravidade!




Um demônio mexicano invocado por um jogo antigo está assombrando a internet. Será?

Talvez você – ou seu filho rebelde demoníaco- tenha invocado um espírito maligno mexicano com um par de lápis. Mas, felizmente, tudo está bem. 
Falarei sobre o que realmente acontece no Charlie Charlie Challenge.



O que é o desafio Charlie Charlie e de onde ele vem?

O Charlie Charlie Challenge – ou variantes dele, conhecido como jogo do lápis ou lápis de Charlie - existem há muito tempo. Sabemos que o jogo é uma velha tradição mexicana, embora não haja nenhum vestígio na internet, existe há muito mais tempo do que o “boom” que aconteceu essa semana na web.

Para jogar o jogo, pegue uma folha de papel e desenhe duas linhas, em formato de cruz. Coloque um sim na parte superior direita e no canto inferior esquerdo, e um não nos dois espaços restantes.
Em seguida, coloque um lápis na linha vertical e o outro por cima, na horizontal.
Para chamar corretamente o “demônio”, de acordo com o jogo, você deve perguntar “Charlie Charlie, podemos jogar?”


O lápis deve então começar a se mover. Se eles vão para o sim, o demônio está disposto a responder suas perguntas- coloque o lápis de volta e use a mesma técnica pra obter respostas. Se for um não, então você deverá voltar mais tarde ou tentar novamente.

O que está movendo os lápis?

Gravidade, e o posicionamento estranho do lápis. Eles não ficariam imóveis nem que você quisesse.
Talvez seja mais assustador que o tabuleiro Ouija, porque não tem as mesmas explicações. Com o tabuleiro, é necessário uma pressão no copo enquanto ele se move – por isso não é difícil imaginar que as pessoas possam estar empurrando-o sem saber.

Com o jogo Charlie Charlie, no entanto, ninguem esta realmente tocando o lápis. Mas eles ainda estão propensos a serem empurrados- o lápis tem que ser tao equilibrado em cima de outro que mesmo o menor movimento de respiração ou uma superfície ligeiramente inclinada vai empurra-lo.

O arranjo em que os lápis ficam significa que eles sempre irão se mover, porque não é apenas uma posição natural pra eles estarem.

É por isso que o jogo funciona de forma confiável, para fazer o demônio dizer não – ao contrario do tabuleiro Ouija, ele não necessita de pessoas pra funcionar, e assim os lápis sempre se moverão se estiverem alinhados corretamente. Mas, se o atrito dos lápis for demais, eles não se moverão.

Se você quer desmascarar o jogo pra si mesmo, tente fazer a mesma coisa, mas sem o papel e sem todo o encantamento do jogo. Um lápis colocado em cima do outro, em forma de cruz, sempre irá se mexer, tendo um demônio ou não pra empurra-los.

Mas por que coisas assustadoras acontecem?

Depois disso, algumas pessoas relataram acontecimentos estranhos. Ele parece especialmente assustador pras pessoas que não fizeram a pergunta mais importante do jogo: “Charlie Charlie, podemos parar?” e dizer adeus quando o demônio diz que sim.

É possível que coisas estranhas estejam realmente acontecendo. Mas é igualmente provável que, após o jogo, o cérebro fique em um estado que o torne extra sugestionável e com medo.

Isso é a mesma coisa que faz a pessoa mais propensa a ouvir barulhos estranhos quando está sozinho ou no escuro. Em ambas as situações, as pessoas estão realmente com medo e mais atentas – de modo que faz o cérebro ficar em um estado extra vigilante a ruídos, como uma forma de evitar perigos.

Ok, mas quem é Charlie?

Como a maioria das lendas urbanas, o fato real é que Charlie parece variar dependendo de quem esta dizendo isso. Alguns afirmam que ele é uma criança que tirou a própria vida, outros dizem que ele é um homem mexicano demoníaco com olhos pretos e vermelhos.


A única maneira de descobrir a verdade sobre ele, é jogar o jogo e pedir que ele te conte. 


Postado por: Bia Saraiva
comentários
Compartilhe: